option
Cuestiones
ayuda
daypo
buscar.php
TEST BORRADO, QUIZÁS LE INTERESE: método
COMENTARIOS ESTADÍSTICAS RÉCORDS
REALIZAR TEST
Título del Test:
método

Descripción:
método artes

Autor:
mourajuliano12
OTROS TESTS DEL AUTOR

Fecha de Creación: 18/06/2024

Categoría: Letras

Número Preguntas: 100
COMPARTE EL TEST
COMENTARNuevo Comentario
No hay ningún comentario sobre este test.
Temario:
Nos navios, encontraremos diversos tipos de embarcações miúdas que, de acordo com o tipo de construção, são classificadas como, EXCETO: lanchas baleeiras botes infláveis escaleres chalanas.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “_______________ são embarcações com a proa e popa semelhantes, finas e elevadas. Em razão de sua forma, são muito seguras para o mar.” lanchas baleeiras botes infláveis escaleres chalanas.
Das citadas, as embarcações de casco semi-rígido são de introdução mais recente na MB. Apresentam vantagens significativas em relação às embarcações tradicionais, EXCETO: Podem ser arriadas/içadas com o navio em movimento a uma velocidade limite de 5 nós. São rapidamente retiradas do berço e colocadas na água. Podem operar em condições piores de mar. Desenvolvem velocidades superiores à maioria das lanchas tradicionais. Apresentam boa manobrabilidade, além de conferirem ao patrão amplo campo de visão.
Em relação às embarcações de casco semi-rígido, assinale a opção INCORRETA: São de introdução mais recente na MB. Possuem casco em fibra de vidro e flutuadores de borracha infláveis. Foram adotadas com o propósito de contribuir para reduzir pesos altos a bordo. A propulsão emprega motor de popa, dispensando o uso de leme. Não são projetadas para abarrancar ou abicar e podem ser esperados danos em caso de encalhe.
De acordo com a propulsão empregada nas embarcações miúdas, assinale a opção CORRETA: As embarcações de propulsão a motor podem ser do tipo fixo ou removível. A propulsão do tipo motor removívellocalizase no interior da embarcação. A propulsão do tipo fixolocaliza-se fora da embarcação, como o motor de popa dos botes. Os motores “de rabeta” são acoplados ao hélice através de um eixo longo. Os motores centrais são instalados no interior do casco, na popa.
De acordo com a publicação CAAML-703, quem é o responsável pelo equipamento da embarcação miúda? Patrão Contramestre Guarnição Motorista Proeiro/Popeiro.
De acordo com a publicação CAAML-703, perdas ou danos ao material devem ser informados imediatamente ao oficial de serviço e ao: Patrão Contramestre Guarnição Motorista Proeiro/Popeiro.
São aparelhos montados aos pares, servindo apenas às embarcações por eles sustentadas: picadeiros turcos catarinas lanças guindastes.
De acordo com a publicação CAAML-703, assinale o tipo de embarcação que pode ser manobrado por um turco singelo, ou mesmo sem o auxílio deste: lanchas baleeiras botes infláveis casco semi-rígido chalanas.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “Gira em torno de seu eixo vertical ou pode ser fixo, dependendo de sua base.” Comum De rebater Quadrantal Rolante Deslizante.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “(...), movendo-se em torno de um eixo horizontal na sua base, paralelo ao costado.” Comum De rebater Quadrantal Rolante Deslizante.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “É recolhido ou disparado inclinando-se sobre um setor dentado que constitui seu pé e engraza numa cremalheira sobre o convés.” Comum De rebater Quadrantal Rolante Deslizante.
Em relação aos turcos rolantes ou deslizantes, assinale a opção CORRETA: Constituídos por ferro redondo ou por perfis retangulares, podendo ser recurvado na parte superior ou possuir ângulo de 90 graus. Semelhante em construção ao tipo comum é rebatido para dentro, movendo-se em torno de um eixo horizontal na sua base, paralelo ao costado. No primeiro movimento, a embarcação desce até ficar ao nível do convés (a meia talha), para embarque dos passageiros ou do material. O turco é recolhido ou disparado inclinando-se sobre um setor dentado que constitui seu pé e engraza numa cremalheira sobre o convés. Um terceiro movimento da alavanca do freio, permite que a embarcação seja arriada até a superfície da água.
De acordo com a publicação CAAML-703, são responsabilidades do Contramestre, EXCETO: Solicitar ao oficial de serviço permissão para reunir o pessoal para a manobra da lancha. Verificar se foi cumprida a lista de verificação da embarcação pelo patrão da lancha. Verificar se os equipamentos a serem utilizados na manobra foram alimentados. Providenciar, caso determinado, o disparo do pau de surriola e manda arriar a escada de portaló. Verificar o cumprimento das precauções de segurança por parte da guarnição.
De acordo com a publicação CAAML-703, são responsabilidades do Contramestre, EXCETO: Verificar os andorinhos. Verificar a boça de viagem. Verificar a cana do leme. Verificar as boças de proa e popa. Coordenar o embarque de pessoal e material na embarcação.
De acordo com a publicação CAAML-703, são responsabilidades do Patrão da embarcação, EXCETO: Providencia a palamenta completa da embarcação. Tamponar os bueiros com os bujões de rosca. Verificar se o pessoal envolvido na faina está utilizando EPI. Verificar a apresentação marinheira da lancha, corrigindo as discrepâncias. Verifica o cumprimento das precauções de segurança por parte da guarnição.
De acordo com a publicação CAAML-703, a quem compete verificar o cumprimento da lista de verificação da embarcação? Contramestre Patrão Proeiro Popeiro Motorista.
De acordo com o CAAML-703 (2017), a quem compete cumprir a lista de verificação da embarcação? Contramestre Patrão Proeiro Popeiro Motorista.
De acordo com a publicação CAAML-703, são responsabilidades do Patrão da embarcação, EXCETO: Verificar a cana do leme. Verificar se estão a bordo as boças reservas. Testar as comunicações. Exigir correção de atitudes e apresentação pessoal da guarnição. Chamar a atenção para a limpeza dos coletes salva-vidas, dos tênis brancos e dos bonés.
Em relação às responsabilidades do Proeiro/Popeiro, assinale a opção INCORRETA: Verificam se estão a bordo as boças reservas. Mediante ordem do contramestre, retiram os gatos das catarinas dos arganéis da embarcação. Largam as boças, de proa e de popa (o popeiro o faz em primeiro lugar). O proeiro larga a boça de viagem. O proeiro recolhe a boça de viagem, quando a lancha aproximar-se para atracar.
Em relação à boça de viagem, assinale a opção CORRETA: O Contramestre é o responsável por verificar a boça de viagem. Quando a embarcação estiver tocando a água e os cabos de aço solecados, mantém a lancha em posição. O comprimento deve ser ajustado de modo a manter a embarcação no correto alinhamento com as catarinas. Tem por finalidade dar um seguimento a vante à embarcação, possibilitando o governo. Serve para atracação em outros atracadores ou como cabos de reboque.
Associe a primeira coluna com a segunda, de acordo com as respectivas responsabilidades durante a manobra da lancha, e a seguir marque a opção CORRETA: 1 – Contramestre 2 – Patrão 3 – Proeiro 4 – Popeiro 5 – Motorista (MO) (___) coordena o embarque de pessoal e material; (___) providencia a palamenta completa; (___) verifica a apresentação marinheira; (___) larga a boça de viagem; (___) verifica o kit de ferramentas; (___) verifica os andorinhos; (___) verifica a boça de viagem; (___) larga a boça em primeiro lugar; ( 1 ) ( 2 ) ( 1 ) ( 3 ) ( 4 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 3 ) ( 1 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 5 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 4 ) ( 2 ) ( 1 ) ( 2 ) ( 4 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 4 ) ( 1 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 1 ) ( 2 ) ( 5 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 5 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 5 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 4 ).
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “Relembra-se que nos navios da MB, as lanchas podem ser arriadas / içadas com o navio em movimento dependendo do estado do mar. Nos casos das _______________, a velocidade limite para essa faina é de 5 nós.” lanchas baleeiras botes infláveis casco semi-rígido chalanas.
Em relação à manobra da lancha em mar aberto, assinale a opção CORRETA: Quando correndo com o mar, ou rebocando, a embarcação deve ter trim de proa a fim de manter seu hélice imerso, e assim melhorar seu governo. Quando correndo com uma vaga que pareça estar se movendo com a mesma velocidade da embarcação, aumente a velocidade imediatamente e, se necessário e possível, reboque uma âncora flutuante. Quando correndo com o mar ou vaga pela alheta tenha atenção com a onda quebrando a sotavento que poderá alagar a embarcação. Quando o mar ou a onda estão pela proa, ataque as maiores ondas de través e reduza a velocidade como necessário. A alteração de velocidade em mar aberto tem grande influência sobre o comportamento da embarcação, portanto ajuste a velocidade para compatibilizá-la com o estado do mar.
Durante a atracação em escada de portaló, “o proeiro guarneceu a boça de vante e o popeiroaguentou a popa junto da escada, mas o patrão esqueceu de usar o leme para manter a EM paralela ao costado do navio.” Qual será a ação corretiva para atracar a embarcação corretamente? Deixar a EM cair vante e depois a ré, dar adiante e vir a contrabordo outra vez. Cair a ré com as máquinase reinvestir para nova atracação. Carregar o leme para boreste até que a proa gire para fora, então dirigir a embarcação de modo a que fique paralela ao costado do navio. Cair a ré. Carregar o leme para bombordo até que a EM adquira seguimento contra a corrente eafastada da escada; então dirigir a EM até que ela vá para contrabordo da escada suavemente. Carregar o leme para bombordo até que a proa gire para fora, então a embarcação deve ser trazida alguns metros para ré.
Coloque F (falso) ou V(verdadeiro) nas afirmativas abaixo e, a seguir, assinale a opção CORRETA: (___) A direção de rotação do hélice, denominada passo, pode ser direita ou esquerda. (___) O passo é direito quando a rotação é no sentido horário, com o hélice visto da proa. (___) A maioria das embarcações (miúdas ou navios) possuem o hélice com passo direito. (___) Opivôestá, normalmente, localizado acerca de um terço do comprimento, a partir da popa. (V) (F) (V) (F) (F) (V) (V) (F) (V) (F) (F) (V) (F) (F) (V) (V) (V) (V) (F) (F).
Durante a atracação em escada de portaló, “o proeiro não apanhou a boça de vante, enquanto o popeiro aguentou com o croque a embarcação junto à escada; esta ação aliada ao efeito da corrente entrando pela parte interna, abriu a proa.” Qual será a ação corretiva para atracar a embarcação corretamente? Deixar a EM cair vante e depois a ré, dar adiante e vir a contrabordo outra vez. Cair a ré com as máquinas e reinvestir para nova atracação. Carregar o leme para boreste até que a proa gire para fora, então dirigir a embarcação de modo a que fique paralela ao costado do navio. Cair a ré. Carregar o leme para bombordo até que a EM adquira seguimento contra a corrente e afastada da escada; então dirigir a EM até que ela vá para contrabordo da escada suavemente. Carregar o leme para bombordo até que a proa gire para fora, então a embarcação deve ser trazida alguns metros para ré.
Os turcos são aparelhos montados aos pares, servindo apenas às embarcações por eles sustentadas. Das embarcações abaixo mencionadas, qual pode sermanobrada por um turco singelo, ou mesmo sem o auxílio destes? lanchas baleeiras botes infláveis casco semi-rígido botes.
Durante a atracação em escada de portaló, “o proeiro guarneceu a boça de vante, mas a embarcação caiu muito para vante e o patrão esqueceu de usar o leme, fazendo a embarcação girar e atingir o costado do navio. O popeiro ficou impossibilitado de puxar a popa para junto da escada.” Qual será a ação corretiva para atracar a embarcação corretamente? Deixar a EM cair vante e depois a ré, dar adiante e vir a contrabordo outra vez. Cair a ré com as máquinase reinvestir para nova atracação. Carregar o leme para boreste até que a proa gire para fora, então dirigir a embarcação de modo a que fique paralela ao costado do navio. Se a proa não girar para fora, a embarcação deve ser trazida alguns metros para ré. Cair a ré. Carregar o leme para bombordo até que a EM adquira seguimento contra a corrente e afastada da escada; então dirigir a EM até que ela vá para contrabordo da escada suavemente. Carregar o leme para bombordo até que a proa gire para fora, então a embarcação deve ser trazida alguns metros para ré.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “Relembra-se que nos navios da MB, as lanchas podem ser arriadas / içadas com o navio em movimento dependendo do estado do mar. Nos casos das baleeira, a velocidade limite para essa faina é de ______ nós.” 2 3 4 5 6.
Em relação à atracação no cais, assinale a opção CORRETA: Avalie a direção e intensidade do vento e da corrente e, sempre que possível, atraque a favor do vento ou da corrente. Uma corrente de 2 nós equivale, aproximadamente, a um vento de força 3 a 4. Uma corrente de 3 nós equivale, aproximadamente, a um vento de força 5 ou 6. Se o cais estiver perpendicular ao vento ou corrente e houver opção de escolha, dê preferência à sotavento. Ao aproximar-se de um cais ou local de atracação desconhecidos, proceda em baixa velocidade e, utilizando o croque, sonde os fundos pela popa.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “É constituído por dois braços montados com rodetes sobre duas calhas (trilhos). Estas são paralelas e dispostas num plano perpendicular ao costado do navio. O turco é disparado por gravidade, sob ação do peso da embarcação.” Comum De rebater Quadrantal Rolante/Deslizante Guindaste.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “A lancha é mantida em posição pela _______________, cujo comprimento deve ser ajustado de modo a manter a embarcação no correto alinhamento com as catarinas do turco.” boça reserva boça de viagem boça de segurança boça de proa boça de popa.
Analise a afirmativa abaixo e a seguir assinale a opção CORRETA: “Possui a responsabilidade de largar a boça de viagem (após ser largada, a boça fica pendurada por um cabo, em uma altura safa para ser recolhida quando a lancha aproximar-se para atracar).” Patrão Contramestre Motorista Proeiro Popeiro.
Associe a primeira coluna com a segunda, de acordo com as respectivas responsabilidades durante a manobra da lancha, e a seguir marque a opção CORRETA: 1 – Contramestre 2 – Patrão 3 – Proeiro ePopeiro 4 – Motorista (MO) (___) verifica a apresentação marinheira da lancha, corrigindo as discrepâncias; (___) cumpre a lista de verificação da embarcaçãoda lancha; (___) verifica se o pessoal envolvido na faina está utilizando EPI adequado; (___) coordena o embarque de pessoal e material na embarcação; (___) verificam se estão a bordo as boças reservas; (___) verifica o kit de ferramentas; (___) verifica as boças de proa e popa e das catarinas, quando aplicável; ( 3 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 1 ) ( 3 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 3 ) ( 4 ) ( 1 ) ( 3 ) ( 2 ) ( 4 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 1 ) ( 2 ) ( 4 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 2 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 1 ) ( 3 ) ( 4 ) ( 1 ).
Durante a atracação em escada de portaló, “a embarcação ultrapassou a escada, o proeiro guarneceu a boça de vante e a corrente, agindo na parte bochecha externa, forçou a embarcação para baixo da escada; o popeiro não consegue trazer a embarcação para junto da escada.” Qual será a ação corretiva para atracar a embarcação corretamente? Deixar a EM cair vante e depois a ré, dar adiante e vir a contrabordo outra vez. Cair a ré com as máquinas e reinvestir para nova atracação. Carregar o leme para boreste até que a proa gire para fora, então dirigir a embarcação de modo a que fique paralela ao costado do navio. Se a proa não girar para fora, a embarcação deve ser trazida alguns metros para ré. Cair a ré. Carregar o leme para bombordo até que a EM adquira seguimento contra a corrente e afastada da escada; então dirigir a EM até que ela vá para contrabordo da escada suavemente. Carregar o leme para bombordo até que a proa gire para fora, então a embarcação deve ser trazida alguns metros para ré.
De acordo com a publicação CAAML-703, assinale a opção INCORRETA: As embarcações são conduzidas nos picadeiros ou nos turcos, de modo a serem arriadas rapidamente. As embarcações são içadas e arriadas por meio de turcos, lanças ou guindastes. Os turcos são aparelhos montados aos pares, servindo apenas às embarcações por eles sustentadas. As chalanas e as balsas podem ser manobrados por um turco singelo, ou mesmo sem o auxílio destes. As lanças e os guindastes podem servir às diversas embarcações que moram em picadeiros próximos.
De acordo com a publicação CAAML-703, assinale a opção INCORRETA: A faina para arriar uma embarcação é mais rápida, segura e precisa, se sua guarnição executar a manobra de forma coordenada e disciplinada. Os preparativos para a faina são realizados seguindo uma lista de verificação abrangendo todas as ações a serem tomadas pelo pessoal que executa a manobra. O instante crítico da faina de arriar uma embarcação, normalmente, ocorre quando ela atinge a superfície do mar e ainda está presa ou sendo liberada dos cabos dos turcos. Quanto mais rápida e atenta for essa manobra, menor será o risco de acidente. Relembra-se que nos navios da MB, as lanchas não podem ser arriadas / içadas com o navio em movimento.
De acordo com a publicação CAAML-703, assinale a opção INCORRETA em relação às responsabilidades do Motorista (MO): Verificar o kit de ferramentas. Verificar o nível de óleo e combustível a bordo. Verificar os equipamentos de combate a incêndio. Partir o motor da lancha. Cumprir as determinações do contramestre em relação ao regime de máquinas.
De acordo com a publicação CAAML-703, assinale a opção INCORRETA. Nos casos das baleeiras, a velocidade limite para essa faina é de 3 nós. Nas situações em que o navio esteja fundeado ou atracado e não haja corrente expressiva a boça de viagem pode ser dispensada. Destaca-se, ainda, que independente do tipo as embarcações (lanchas ou botes) ao atracarem a contrabordo devem receber as boças de proa e de popa passadas pelo navio Ao desatracarem, os proeiros/popeiros, devem largá-las dos cunhos (das lanchas) ou dos estropos com trambelho (dos botes) para que o navio as recolham. As boças reservas das embarcações servem para atracação em outros atracadores ou como cabos de reboque.
Conforme a faina empregada, as embarcações miúdas utilizadas na MB podem ter como propulsão, EXCETO: motor a jato de água nas moto-aquáticas. vela nos escaleres. remos nas chalanas. motor fixo “de rabeta” nas lanchas. motor removível nas embarcações da casco semi-rígidos.
Qual a embarcação miúda que apresenta vantagem significativa em relação às embarcações tradicionais e é de introdução mais recente na Marinha do Brasil? Chalana Embarcação de casco semi-rígido Baleeira Bote inflável Balsas salva-vidas.
De acordo com a publicação CAAML-703, durante a faina de arriar e içar a embarcação, todo o pessoal embarcado na mesma deve guarnece: os estropos de mau tempo o cabo de contrabalanço o cabo guia os estropos de segurança os andorinhos.
Em relação a faina de içar uma embarcação, assinale a opção CORRETA: Recebida a ordem para içar a embarcação o contramestre a conduz para a posição sob o turco, onde as talhas já estão arriadas. Com o motor engrazado passa-se a boça de viagem e, com o auxílio do leme, o patrão a mantém afastada do costado. Com a lancha em posição, o proeiro e o popeiro engatam os gatos de escape nos arganéis e passam a barbela na boca dos gatos. Para os içamentos em navio com velocidade expressiva, passa-se, adicionalmente, uma boça na proa. Feito isso, guarnecem os andorinhos e iça-se a embarcação. Os bujões são retirados com a embarcação dentro d’água.
As embarcações são o espelho do asseio e cuidado observado na unidade a que pertencem. Deve-se exigir a manutenção da tradição de boa apresentação marinheira das embarcações miúdas. Assim, recomenda-se, EXCETO: Içar, baldear e limpar a embarcação, logo que terminado seu serviço, como exercícios e conduções. Içar a chalana logo que terminar o serviço para o qual foi arriada. Evitar que as embarcações fiquem atracadas por longo período ao portaló dos navios ou às escadas do cais. Evitar que as embarcações fiquem ao largo ou amarradas ao surriola, atracando sempre que preciso e pelo tempo necessário. Manter a guarnição completa a bordo das embarcações em serviço, quando afastadas do navio, e quando atracadas ao cais ou a outro navio.
Por ocasião do arriamento de uma embarcação, a Manobra utilizou uma bandeira encarnada para se comunicar com a Estação da Lancha. Nesse contexto, assinale a opção que apresenta a mensagem transmitida: preparando a embarcação para ser arriada preparar para arriar a embarcação embarcação pronta para ser arriada arriar a embarcação embarcação a contrabordo para ser arriada.
Por ocasião do arriamento de uma embarcação, a Estação da Lancha utilizou uma bandeira verde para se comunicar com a Manobra. Nesse contexto, assinale a opção que apresenta a mensagem transmitida: preparando a embarcação para ser arriada preparar para arriar a embarcação embarcação pronta para ser arriada arriar a embarcação embarcação a contrabordo para ser arriada.
Por ocasião do recebimento e içamento de uma embarcação, a Estação da Lancha utilizou uma bandeira encarnada para se comunicar com a Manobra. Nesse contexto, assinale a opção que apresenta a mensagem transmitida: receber a embarcação a contra bordo içar a embarcação embarcação pronta para ser içada preparar para içar a embarcação embarcação a contra bordo, preparando para ser içada.
Por ocasião do recebimento e içamento de uma embarcação, a Manobra utilizou uma bandeira encarnada para se comunicar com a Estação da Lancha. Nesse contexto, assinale a opção que apresenta a mensagem transmitida: receber a embarcação a contra bordo içar a embarcação embarcação pronta para ser içada preparar para içar a embarcação embarcação a contra bordo, preparando para ser içada.
Em relação à desatracação de um cais utilizando os espringues, assinale a opção INCORRETA: Na presença de vento ou corrente de proa, a proa da embarcação pode ser aberta carregando-se o leme para boreste e largando o espringue de vante. Quando a proa abrir o suficiente, dê máquinas adiante devagar com o leme a meio e largue o espringue de ré. Quando houver pouco ou nenhum vento, podese abrir a popa largando-se o espringue de ré, carregando-se o leme para bombordo e com máquinas adiante devagar. Pode-se, ainda, aguentar o espringue de ré, carregando-se o leme para boreste e máquina a ré devagar, até que a proa abra o suficiente. Quando desatracando de uma posição interna de um pau de surriola onde haja outras embarcações, com corrente de maré pela proa, caia a ré para safar as embarcações de fora.
No que tange as Orientações Básicas sobre Apresentação Marinheira, entre outros aspectos, devem ser consideradas algumas orientações. Sobre as falhas mais comuns quanto à apresentação marinheira, das opções abaixo todas são consideradas falhas, EXCETO: Toldos mal envergados, com excesso de água, denotam desleixo por parte do pessoal, além de perderem resistência, podem furar e adquirir elasticidade excessiva. O portaló é o “cartão de visita” do navio, e como tal, tem que estar rigorosamente limpo e arrumado, sem concentração de pessoal não afeto ao serviço nas proximidades da prancha / escada de portaló, e guarnecido por militares de serviço impecavelmente uniformizados. Defensas esquecidas dependuradas no costado. Cozedura das uniões de seções de toldos e sanefas feitas corretamente. Folga nos trincafios das espias e rateiras abertas por causa das variações de mares.
No que tange as Orientações Básicas sobre Apresentação Marinheira, entre outros aspectos, devem ser consideradas algumas orientações. Quem são os responsáveis por inspecionarem frequentemente o navio no porto, durante o expediente normal, verificando a limpeza, arrumação dos compartimentos e aspecto marinheiro? os Encarregados de Divisão, o Contramestre e o Sargento-Polícia. os Encarregados de Divisão, o Mestre e o Contramestre de Quarto. os Encarregados de Divisão, o Mestre e o Sargento-Polícia. o Oficial de Serviço, o Contramestre e o Sargento-Polícia. o Mestre e o Sargento-Polícia.
No que tange as Orientações Básicas sobre Apresentação Marinheira, entre outros aspectos, devem ser consideradas algumas orientações. Sobre as falhas mais comuns quanto à apresentação marinheira, das opções abaixo todas são consideradas falhas, EXCETO: Serviço de pintura feito com descuidado, deixando as marcações, vidros, partes envernizadas, borrachas de portas, vigias e cabos elétricos borrados pela tintadas anteparas. Amarelos limpos, porém com a pintura adjacente borrada, devido ao extravasamento do preparado de limpeza (kaol ou similar). Graxa em excesso nas graxeiras e outros locais, sujando a pintura. Parafusos, porcas, grampos, orelhas de portas, válvulas e vigias de combate emperrados pela tinta indevidamente aplicada. Cabos alinhados pelo navio ou pelas bordas, fiéis de toldos, chicotes de cabos bem alinhados. Boças e cabos em locais apropriados. Capas e sanefas limpas.
No que tange as Orientações Básicas sobre Apresentação Marinheira, entre outros aspectos, devem ser consideradas algumas orientações. Sobre as falhas mais comuns quanto à apresentação marinheira, das opções abaixo todas são consideradas falhas, EXCETO: Defensas esquecidas dependuradas no costado. Tampas de tomadas (quando estas não estão em uso) fora do lugar ou dependuradas; fiéis de tomadas, contrapinos e outros acessórios inexistentes. Cozedura das uniões de seções de toldos e sanefas feitas incorretamente. Talhas, aparelhos de laborar e acessórios semelhantes guardados nos lugares apropriados. Amarração dobrada deficientemente, de modo que a tração não se distribui igualmente pelas pernadas. Amarração folgada (nos casos extremos, até mesmo tocando na água). Deve-se recorrer a amarração e colher o brando nas variações de maré significativas, de modo a evitar o mau aspecto.
No que tange as Orientações Básicas sobre Apresentação Marinheira, entre outros aspectos, devem ser consideradas algumas orientações. Cabe a quem fazer inspeções no navio no porto, após o expediente, empregando o quarto de serviço para mantê-lo limpo e com boa apresentação marinheira: os Encarregados de Divisão, o Contramestre e o Sargento-Polícia. o Oficial de Serviço e o Sargento-Polícia. os Encarregados de Divisão e o Sargento- Polícia. o Oficial de Serviço e o Contramestre de quarto. o Encarregado do CAv e o Sargento-Polícia.
No que tange as Orientações Básicas sobre Apresentação Marinheira, entre outros aspectos, devem ser consideradas algumas orientações. Sobre as falhas mais comuns quanto à apresentação marinheira, das opções abaixo todas são consideradas falhas, EXCETO: O não cumprimento, por ocasião do quarto d’alva / pôr-do-sol do regime de luzes Nas mudanças de posição no cais, pessoal guarnecendo DEM na proa/popa com uniformes padronizados. Militares debruçados nas balaustradas e / ou sentados nos acessórios do convés. Vergueiros da balaustrada solecados. Pontos e lágrimas de ferrugem nas proximidades dos amarelos devido a utilização de palhas de aço (bombril) na aplicação de líquidos para polimento de metais, principalmente nos “olhos de boi” das portas estanques.
Coloque F (falso) ou V(verdadeiro) nas afirmativas abaixo, assinalando, a seguir a opção correta: I) Quando atracando ao cais, avalie a direção e intensidade do vento e da corrente e, sempre que possível, atraque contra o vento ou corrente. II) Quando atracando ao cais, avalie a direção e intensidade do vento e da corrente e, se em diferente direções, faça opção por aquele que provocar menor efeito sobre a embarcação. III) Na atracação com uma corrente de 1 nó, e um vento de força 4 a 5 nós, deve-se optar por atracar contra a corrente. IV) Na atracação com uma corrente de 2 nós, e um vento de força 3 a 4 nós, deve-se optar por atraca contra a corrente. V F F V F V V F V F V V F F V V V V F V.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro. Quanto aos cuidados quando trabalhando com espias e cabos, é correto afirmar que devemos manter socairo mínimo de: 1,8 metros 2,5 metros 4 metros 3 metros 2 metros.
(Curso ADSUMUS) A segurança do pessoal e do material merece atenção especial, seja durante a realização de uma faina, adestramento, ou simplesmente nos eventos de rotina em um navio atracado ou em viagem. Todas devem ser precedidas de _______________, onde os principais aspectos de segurança sejam enfatizados. Após cada evento, realiza-se uma reunião de crítica _______________, onde os acertos são realçados e os erros apontados. Deste modo, colhem-se ensinamentos que aprimorarão a execução de tais fainas no futuro. atenção – profissional briefings – debriefing garantias – de qualidade qualidade – direcionada reunião – detalhada.
Quanto à segurança da tripulação a bordo, onde deve ser mantida atualizada a relação dos materiais perigosos existentes a bordo, por categoria, discriminando local, precauções para armazenagens, manuseio e procedimentos a serem adotados (no mar e em terra) no caso de contaminação do pessoal? na Enfermaria, na ECCAv e no Portaló na Praça D´Armas, na Enfermaria e no Portaló no COC, no CIC e no Passadiço na ECCAv, no Portaló e na Escoteria na Enfermaria, nos Reparos do CAv e no Portaló.
Os práticos, por vezes, embarcam e desembarcam em condições adversas e perigosas. Por este motivo, foram estabelecidas normas internacionais que visam prover segurança nas fainas de embarque e desembarque de práticos, as quais estão consolidadas nas Normas da Autoridade Marítima para a Navegação em Mar Aberto (NORMAM-01/DPC). Sendo assim, a escada de Prático deve ser homologada pela: IMO (International Maritime Organization).. DPC (Diretoria de Portos e Costas). PRMA (Prevention Rules of Marine Accidents). SRMM (Standardization Rules of Marine Materials). OMM (Organization of the Marine Materials).
Considere certo (C) ou errado (E) quanto aos cuidados quando trabalhando com espias e cabos: (___) Todas as espias e cabos de reboque devem possuir fusível; (___) Quando laboramos cabos e espias, devemos observar quatro regras de segurança, independente do material de fabricação; (___) Não se deve ficar por dentro de cabo laborando ou na direção em que ele é tracionado; (___) Não se deve aumentar a carga (esforço) num cabo depois de se travar ou de se ter dado volta num cunho, cabeço ou similar; (___) É imperativo a presença de três observadores de segurança em todos os casos em que se laboram cabos. Marque a opção correta: ( E ) ( C ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ) ( C ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ).
Para todas as fainas devem ser tomadas precauções de seguranças. Os seguintes aspectos devem ser observados durante o serviço de pintura, EXCETO: Colocar sinalização de segurança (proibido fumar, proibido serviços de corte e solda etc.) alusiva ao serviço. Utilizar iluminação à prova de explosão nas fainas de pintura em compartimentos fechados. A quantidade de tinta e solvente armazenada na área de trabalho deve ser a correspondente para, no máximo, três dias de consumo. Os compartimentos fechados devem ser ventilados e ter a concentração de gases monitorada durante o período de pintura. Os envolvidos na pintura de compartimentos confinados utilizarão máscara (filtro nasal).
A escada de prático deve permitir o embarque seguro do prático e também poder ser utilizada por pessoas, por ocasião da entrada ou saída de um navio. Nesse contexto, assinale a opção correta: Para receber o prático, a escada deverá ser lançada a barlavento. Para que possa ter acesso ao navio, com segurança e comodidade, o prático não deverá subir menos do que 1 m, nem mais do que 9 m. Quando a altura a ser escalada pelo Prático for superior a 9 m, a subida a bordo, a partir da escada de prático, deve ser efetuada com o auxílio da escada de quebra peito. Em caso de necessidade, devem ser mantidas prontas para serem usadas três boças, solidamente amarradas ao navio, tendo pelo menos 32 mm de diâmetro. Se o navio estiver em movimento, o embarque ou desembarque do Prático deve ser feito com máquinas adiante e velocidade máxima de 5 a 6 nós.
O trabalho em locais elevados reveste-se de cuidados especiais, tanto pela segurança do próprio homem que exerce a tarefa, como das pessoas que transitam sob a área de trabalho. As seguintes providências são mandatórias, quando se trabalha em mastros e chaminés, exceto: tenha sempre dois observadores de segurança: um no convés e outro no cais. utilize cinto de segurança, amarrado em local apropriado. planeje o serviço de modo que não precise descer para pegar ferramentas ou sobressalentes (assim estará evitando repetir duas fases perigosas da faina que são subir e descer do mastro, além de, obviamente, obter maior eficiência na execução da tarefa). utilize um cabo (fiel) para prender as ferramentas, evitando que elas caiam, atrasando o serviço ou atingindo alguém. tenha atenção à fumaça emanada das chaminés (ela pode provocar mal-estar, perda de consciência e queda).
Assinale a opção que corresponde a uma das regras de segurança que deve ser observada quando se labora cabos e espias, independentemente do material de fabricação. Não se deve ficar por fora do cabo laborando ou na direção em que ele é pago. Deve-se aumentar a carga (esforço) num cabo somente depois de se travar ou de se ter dado volta em um cunho, cabeço ou similar. É imperativa a presença de um observador de segurança em todos os casos em que se laboram cabos. Manter socairo mínimo de 5 metros. É proibido o uso de fusível nos cabos de reboque, já que os mesmos reduzem a resistência mecânica do material.
De acordo com as normas internacionais que visam prover segurança nas fainas de embarque e desembarque de práticos a bordo, as quais constam do manual de Procedimentos marinheiros, CAAML-703, é INCORRETO afirmar que: a escada de prático deve ser homologada pela DPC. a escada de prático deve ser mantida segura e em bom estado de conservação. a escada de prático tem que ser instalada em um dos bordos, sempre a barlavento, numa posição segura, livre de risco de receber descargas do costado. à noite, o local de embarque deve ser provido de iluminação, de modo que a parte superior da escada, a parte intermediária, bem como a posição em que o prático aborda o navio fiquem devidamente iluminada. se o navio estiver em movimento, o embarque ou desembarque do Prático deve se feitos com máquinas adiante e velocidade máxima de 5 a 6 nós.
Em relação aos aspectos que influenciam, diretamente, a manutenção da segurança do pessoal e do material a bordo, assinale a opção INCORRETA: As fainas marinheiras devem ser realizadas em conversas paralelas. Quem conduz a faina tem que manter o controle dela durante todo o tempo. Em faina de transferência no mar, todo o pessoal deve estar atento a um possível movimento da carga, devido ao jogo do navio. Ninguém deve se posicionar entre a carga e a borda do navio. Em situação de guerra, no caso de recolhimento de náufrago inimigo, devem-se manter homens armados postados em locar elevado e próximo à estação de recolhimento, de modo a prevenir-se contra eventual ação adversa. Em fainas de recolhimento de homem ao mar e náufragos, o nadador deve vestir a roupa de neoprene e a sua palamenta completa, e o nadador reserva deve estar apenas com o colete salva-vidas inflável, pronto a entrar em ação. Em fainas de embarque e desembarque de prático, a escada deve ser confeccionada de acordo com as regras da IMO (INTERNATIONAL MARITIME ORGANIZATION).
O cabo de recolhimento da faina de homem ao mar deve possuir flutuabilidade _______________ e a fibra sintética é o _______________. positiva - polietileno negativa - sisal neutra - poliuretano positiva - polipropileno neutra - fibra.
Quando trabalhando em locais elevados como chaminés e mastros, deve assegurar-se de que o _______________ está sendo cumprido, ou seja, que os equipamentos como radares, antenas, transmissores estejam desligados. Check List Hazard board Kill Card Tabela de Inflamáveis Briefings.
O convés nas proximidades da estação de transferência deve ser tratado com material _______________. Luminoso Escuro Antiderrapante Aderente Escorregadio.
Se o navio estiver em movimento, o embarque ou desembarque do Prático deve ser feito com máquinas adiante e velocidade máxima de: 2 a 4 nós. 5 a 6 nós. 4 a 5 nós. 6 a 7 nós. 8 a 9 nós.
São recomendações gerais, relacionadas às precauções de segurança, durante o período de manutenção: incluir nos contratos celebrados com firmas, itens definindo claramente as responsabilidades quanto à segurança e à integridade dos funcionários civis, segundo a legislação em vigor, enquanto os mesmos estiverem trabalhando a bordo; e, instituir uma comissão encarregada da segurança e prevenção de acidentes, constituída ao início do período de manutenção e integrada pelos: Imediato, CHEMAQ, CHEOP, CHEARM, ENCAv e Oficial Médico. CHEMAQ, CHEOP, EGA, ENCAv e CHEINT. Imediato, CHEMAQ, CHEOP, CHEARM, CHEINT e Oficial Médico. Imediato, CHEMAQ, CHEOP, EGA, ENCAv e CHEINT. CHEMAQ, CHEOP, EGA, CHEINT e CHEDEP.
As providências contra riscos de incêndio quando se executam serviços de corte, solda ou aquecimento de redes e equipamentos devem ser rigorosamente implementadas. Uma destas é manter a vigilância na área do serviço, bem como na área limítrofe, até, ao menos, ____ minutos após ter sido terminado um trabalho com calor. Marque a opção que completa corretamente a lacuna acima: 5 10 15 20 25.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de VIAS DE ACESSO, todas as opções estão corretas, EXCETO: Colocar redes de segurança sobre as pranchas utilizadas para entrada ou saída de bordo, como proteção adicional para o pessoal em trânsito. A condição de fechamento do material estabelecida pelo CAv deve ser rigorosamente mantida (é importante conscientizar toda a tripulação quanto à necessidade de se conservar a condição de fechamento do material; a Central do CAv controla a abertura/fechamento dos acessórios estanques). É proibido obstruir escotilhões, agulheiros, portas estanques e escapes de emergência, que devem ser conservados sempre em condições de uso. Como requisito de segurança, em caso de obstrução de uma rota pela execução de algum serviço, mantém-se uma rota alternativa para escape em emergência, devidamente identificada e do conhecimento do pessoal envolvido (esta providência é particularmente importante nos períodos de manutenção). Isolar com cabos/ corrimões os locais em que chapas do convés ou estrados forem removidos.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de SERVIÇOS DE PINTURA, todas as opções estão corretas, EXCETO: Restos de tintas, trapos, estopas etc. devem ser armazenados em locais designados e removidos ao término de cada serviço. Colocar sinalização de segurança (proibido fumar, proibido serviços de corte e solda etc.) alusiva ao serviço. Utilizar iluminação à prova de explosão nas fainas de pintura em compartimentos fechados. A quantidade de tinta e solvente armazenada na área de trabalho deve ser a correspondente para, no máximo, um dia de consumo. O local do serviço não necessita estar provido de extintores de incêndio.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de SERVIÇOS DE PINTURA, todas as opções estão corretas, EXCETO: O Portaló deve ser informado das fainas de pintura que estão sendo realizadas a bordo. Os compartimentos fechados devem ser ventilados e ter a concentração de gases monitorada durante o período de pintura. Os envolvidos na pintura de compartimentos confinados utilizarão máscara (filtro nasal). Ter sempre um supervisor de segurança no convés para acompanhar a faina e reposicionar o flutuante. Utilizar um cabo (fiel) para descer o material necessário para pintura.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de TRABALHOS EM LOCAIS ELEVADOS, todas as opções estão corretas, EXCETO: tenha sempre um observador de segurança no convés. utilize cinto de segurança, amarrado em local apropriado. planeje o serviço de modo que precise descer para pegar ferramentas ou sobressalentes (assim estará repetindo duas fases perigosas da faina que são subir e descer do mastro, além de, obviamente, obter maior eficiência na execução da tarefa). utilize um cabo (fiel) para prender as ferramentas, evitando que elas caiam, atrasando o serviço ou atingindo alguém. tenha atenção à fumaça emanada das chaminés (ela pode provocar mal-estar, perda de consciência e queda).
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de FAINAS DE TRANSFERÊNCIA NO MAR, todas as opções estão corretas, EXCETO: Manter um enfermeiro disponível na estação, bem como um oficial com a função de Oficial de Segurança. Observar precauções de perigos de irradiação eletromagnética. Navios transferindo munição por reabastecimento conectados devem estar sob a mesma condição de silêncio devido ao manuseio de munição sensível. Pessoal que trabalha com a carga não deve pisar em um estropo da rede que estiver talingado no gato. o pessoal não precisa estar atento a um possível movimento da carga devido ao jogo do navio. Ninguém deve se posicionar entre a carga e a borda do navio. teques, “spanwires”, cabos de sustentação de aço devem ser presos ao tambor do guincho por uma presilha ou grampo especialmente projetado, para minimizar a possibilidade de danos se um desengajamento em emergência for necessário.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de FAINAS DE TRANSFERÊNCIA NO MAR, todas as opções estão corretas, EXCETO: A balaustrada não deve ser arriada a não ser que absolutamente necessário. Se abaixada, uma balaustrada de segurança temporária deve ser montada usando neste caso o cabo de especificação contida no NWP 4-01.4. O pessoal de cada estação deve remover anéis, relógios, pulseiras e outras peças que possam ser inadvertidamente ser “fisgadas” pelos dispositivos, cabos e carga. Usar corretamente os contrapinos nas patolas. Não forçar a abertura excessiva de contrapinos. Observar o NWP 4-01.4 (fig 2-21) para fazê-lo. Todo pessoal deve ser alertado para manter-se afastado de cargas suspensas e de pontos de fixação de dispositivos até que toda a carga esteja segura no convés. O pessoal trabalhando em mastros ou superestruturas ou por fora da borda livre ou balaustrada, não deve usar cintos de segurança e cabos de segurança.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de FAINAS DE TRANSFERÊNCIA NO MAR, todas as opções estão corretas, EXCETO: Os cabos de fixação devem ser passados imediatamente quando da montagem do dispositivopara se preparar para um possível desengajamento em emergência. As projeções móveis, localizadas no bordo da faina, devem ser rebatidas e peiadas. Os cabos devem ser colhidos de forma clara para correrem livremente. O convés, nas proximidades da estação de transferência, deve ser tratado com material derrapante. Deve existir material para combate a incêndio pronto para uso na estação (somente nas fainas de transferência de óleo combustível) e todo o pessoal deve estar apto a operá-lo.
A preocupação com a segurança envolve um amplo espectro, desde o projeto do ambiente de trabalho, da utilização de material de consumo aprovado às técnicas de manutenção e estocagem apropriadas; do controle de ruído ambiental à educação dos tripulantes, de modo a possibilitar a adoção de normas e procedimentos capazes de criar e manter condições de trabalho saudáveis e seguras a bordo. Em se tratando de FAINAS DE TRANSFERÊNCIA NO MAR, todas as opções estão corretas, EXCETO: Cumprir os procedimentos de segurança do NWP 4-01.4 relativos à utilizar sinais de apito, por ocasião da passagem da retinida, visando à proteção da guarnição do outro navio. Somente destalingar o spanwire (ou cabo de sustentação) quando ele tiver sido destensionado (ou folgado, e por ordem do fornecedor). Nas fainas de transferência de óleo pelo método STREAM, o recebedor somente solicitará ao fornecedor que tensione o spanwire após receber autorização da Manobra (que posicionará o navio na distância mínima de 140 pés). Todos os olhais e acessórios das estações de transferência têm que sofrer teste de carga, de acordo com os valores previstos na NWP. todo o pessoal deve estar adestrado para: manter-se afastado de retornos, seios de cabo, guarnecer os cabos se posicionando para dentro de bordo e, se praticável, permanecer a pelos menos 2,0 m de distância de moitões, cunhos, sarilhos, cabrestantes etc. por onde os cabos gurnem.
A energia eletromagnética tem alto poder de penetração e sua ação se desenvolve em órgãos internos, em um processo idêntico ao cozimento que se processa dentro de um forno de microondas. Note-se que os efeitos no organismo não são uniformes, variando de órgão para órgão. A profundidade de penetração e os efeitos de aquecimento no corpo humano dependem da frequência. Abaixo de _______________ a energia penetra profundamente e com energia acima _______________ o efeito de aquecimento ocorre próximo à superfície, na pele. 1 GHz e 2 GHz 2 GHz e 4 GHz 3 GHz e 1 GHz 4 GHz e 2 GHz 1 GHz e 3 GHz.
Os armamentos apresentam precauções específicas quanto aos perigos da irradiação eletromagnética e devem ser motivo de preocupação do pessoal envolvido diretamente na sua operação e manuseio. Como exemplo, certas granadas de CHAFF são susceptíveis a induções eletromagnéticas de determinadas frequências e, neste caso, é recomendado a colocação de radares desta Banda em silêncio até o término da faina de manuseio de munição. Durante a faina, que bandeira deve ser empregada: A bandeira “J” A bandeira “M” A bandeira “N” A bandeira “Q” A bandeira “L”.
A possibilidade de ignição do combustível (HERF) por ação de radiofrequência é remota, na medida em que o desenvolvimento dos requisitos de projeto dos navios (como, localização das antenas nãointerferindo com estações de abastecimento ou suspiros de tanques), a adoção de procedimentos e equipamentos de abastecimento mais seguros e de combustíveis menos voláteis (JP-5, por exemplo) reduziram a possibilidade deste tipo de ocorrência. Entretanto, ainda há algum risco no manuseio de gasolina, particularmente a de aviação. As precauções de segurança para minimizar a possibilidade de acidentes são as seguintes, EXCETO: não alimente qualquer transmissor (radar ou de comunicações) nas proximidades de aeronave ou veículo sendo abastecido (ao menos 10 metros afastado). não dirija o feixe radar na direção de aeronave ou veículo sendo abastecido. não faça ou desfaça o aterramento ou qualquer outra conexão elétrica de uma aeronave ou veículo sendo abastecido (ou nas suas proximidades). Faça a conexão antes de começar o abastecimento e a desfaça após o término da faina. não coloque tanques portáteis de combustível perto de antenas. não alimente qualquer transmissor (radar ou de comunicações) nas proximidades de aeronave ou veículo sendo abastecido (ao menos 15 metros afastado).
“É de emprego crescente no meio militar, para determinação de distâncias e altitude, localização de alvos e comunicações; oferece risco à visão, pois pode causar danos ao globo ocular, no qual os efeitos podem ser agravados sefor potencializado através de binóculos ou dispositivos semelhantes. A segurança do pessoal é assegurada mantendo-se as tripulações bem-informadas dos riscos e das precauções necessárias, como o uso de filtros e equipamentos de proteção individual.” O texto acima refere-se a(o): Laser Radar Sonar Degausing Antena de iluminação RTF/RTP.
A segurança do pessoal e do material merece atenção especial, seja durante a realização de uma faina, adestramento, ou simplesmente nos eventos de rotina em um navio atracado ou em viagem. Quem deve, ao constatar que a segurança está ou pode vir a ser ameaçada, comunicar o fato imediatamente ao mais antigo presente, para que tome as providências cabíveis, que podem significar, até mesmo, a interrupção da faina ou exercício, até que a situação de perigo seja afastada? O mais antigo presente O mais moderno presente O responsável pela faina O comandante Qualquer um.
As fainas marinheiras devem ser realizadas sem conversas paralelas. Quem conduz a faina tem que manter o controle da mesma durante todo o tempo. Nas fainas marinheiras em conveses abertos, o uso do de qual material de segurança é necessário e obrigatório: colete de flutuabilidade permanente (tradicionalmente conhecido como colete de paina) ou inflável. colete de flutuabilidade permanente (tradicionalmente conhecido como colete de paina) ou auto-inflável. colete de flutuabilidade parcial (tradicionalmente conhecido como colete de paina) ou auto-inflável. colete de flutuabilidade permanente ou autoinflável e faca de marinheiro. faca de marinheiro, cinto de segurança e colete inflável.
Quanto à segurança da tripulação a bordo, deve ser mantido atualizada em qual local a relação dos materiais perigosos existentes a bordo, por categoria, discriminando local, precauções para armazenagens, manuseio e procedimentos a serem adotados (no mar e em terra) no caso de contaminação do pessoal. O pessoal a bordo deve manter-se adestrado nos procedimentos de emergência, especialmente os relativos aos materiais que empregam combustíveis especiais (por exemplo: torpedos e mísseis), berílio, halon e outros. na enfermaria, na estação Central do CAv e no Portaló. na enfermaria de combate, na estação Central do CAv e no portaló. na enfermaria de combate, na estação Central do CAv e no passadiço. na enfermaria, na estação de reparo e no portaló. na enfermaria de combate, na estação de reparo e no portaló.
Considere certo (C) ou errado (E) quanto aos cuidados quando trabalhando com espias e cabos: (___) Todas as espias e cabos de reboque devem possuir fusível. (___) Quando laboramos cabos e espias, devemos observar cinco regras de segurança, independente do material de fabricação. (___) Deve-se ficar por dentro de cabo laborando ou na direção em que ele é tracionado. (___) Não se deve diminuir a carga (esforço) num cabo depois de se travar ou de se ter dado volta num cunho, cabeço ou similar. (___) É imperativo a presença de um observador de segurança em todos os casos em que se laboram cabos. Marque a opção correta ( E ) ( C ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ) ( E ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ) ( C ) ( C ) ( C ) ( C ) ( C ) ( E ).
Para todas as fainas devem ser tomadas precauções de seguranças. Os seguintes aspectos devem ser observados durante o serviço de pintura, EXCETO: Colocar sinalização de segurança (proibido fumar, proibido serviços de corte e solda etc.) alusiva ao serviço. Utilizar iluminação à prova de explosão nas fainas de pintura em compartimentos abertos. A quantidade de tinta e solvente armazenada na área de trabalho deve ser a correspondente para, no máximo, um dia de consumo. Os compartimentos fechados devem ser ventilados e ter a concentração de gases monitorada durante o período de pintura. Os envolvidos na pintura de compartimentos confinados utilizarão máscara (filtro nasal).
Os práticos, por vezes, embarcam e desembarcam em condições adversas e perigosas. Por este motivo, foram estabelecidas normas internacionais que visam prover segurança nas fainas de embarque e desembarque de práticos, as quais estão consolidadas nas Normas da Autoridade Marítima para a Navegação em Mar Aberto (NORMAM-01/DPC). Nesse contexto assinale a única opção correta: Para receber o prático, a escada deverá ser lançada a barlavento. Para que possa ter acesso ao navio, com segurança e comodidade, o prático não deverá subir menos do que 1 m, nem mais do que 9 m. Quando a altura a ser escalada pelo Prático for superior a 9 m, a subida a bordo, a partir da escada de prático, deve ser efetuada com o auxílio da escada de quebra peito. Em caso de necessidade, devem ser mantidas prontas para serem usadas duas boças, solidamente amarradas ao navio, tendo pelo menos 32 mm de diâmetro. Se o navio estiver em movimento, o embarque ou desembarque do Prático deve ser feito com máquinas adiante e velocidade máxima de 4 a 5 nós.
Assinale a opção que corresponde a uma das regras de segurança que deve ser observada quando se labora cabos e espias, independentemente do material de fabricação. Não se deve ficar por fora do cabo laborando ou na direção em que ele é pago. Deve-se aumentar a carga (esforço) num cabo somente depois de se travar ou de se ter dado volta em um cunho, cabeço ou similar. É imperativa a presença de dois observadores de segurança em todos os casos em que se laboram cabos. Manter socairo mínimo de 2 metros. É proibido o uso de fusível nos cabos de reboque, já que os mesmos reduzem a resistência mecânica do material.
“O pessoal trabalhando em mastros ou superestruturas ou por fora da borda livre ou balaustrada, deve usar cintos de segurança e cabos de segurança”. Esse cuidado com a segurança faz parte de qual faina marinheira: Reboque Embarque e desembarque de prático Transferência no mar Trabalhos em locais elevados Recolhimento de homem ao mar e náufragos.
“Manter um enfermeiro com “kit” de primeiros socorros na área”. Esse cuidado com a segurança faz parte de qual faina marinheira: Reboque Embarque e desembarque de prático Transferência no mar Trabalhos em locais elevados Recolhimento de homem ao mar e náufragos.
“O pessoal de cada estação deve remover anéis, relógios, pulseiras e outras peças que possam ser inadvertidamente ser “fisgadas” pelos dispositivos, cabos e carga”. Esse cuidado com a segurança faz parte de qual faina marinheira: Reboque Embarque e desembarque de prático Transferência no mar Trabalhos em locais elevados Recolhimento de homem ao mar e náufragos.
“Usar cabo de recolhimento de flutuabilidade positiva (polipropileno)”. Esse cuidado com a segurança faz parte de qual faina marinheira: Reboque Embarque e desembarque de prático Transferência no mar Trabalhos em locais elevados Recolhimento de homem ao mar e náufragos.
Os navios devem ser providos de dispositivos apropriados para permitirem a passagem de maneira segura e cômoda do topo da escada de prático para o convés ou escada de portaló. Nesse contexto, assinale a única opção correta: Quando esta passagem se efetuar por meio de uma escada de portaló, esta deve ser solidamente fixada à balaustrada da borda-falsa. Os dois balaústres devem ter um afastamento entre 60 e 80 cm, ser fixados rigidamente ao convés do navio ficando no mínimo a 1,20 m acima da borda falsa e serem construídos de aço ou material equivalente com, no mínimo, 40 mm de diâmetro. À noite, o local de embarque deve ser provido de iluminação, de modo que a parte superior da escada, bem como a posição em que o Prático aborda o navio fiquem devidamente iluminadas. Deve ser mantida, junto à escada de prático, uma boia salva-vidas, provida de um dispositivo flutuante de iluminação automática e retinida flutuante de comprimento igual ao triplo da altura na qual ficará estivada, acima da linha de flutuação na condição de navio leve, ou a 30 metros, o que for maior, e ter seu chicote a bordo. Deve ser mantida, junto à escada de prático, uma boia salva-vidas, provida de um dispositivo flutuante de iluminação automática e retinida flutuante de comprimento igual ao dobro da altura na qual ficará estivada, acima da linha de flutuação na condição de navio leve, ou a 30 metros, o que for maior, e ter seu chicote a bordo.
Nas fainas marinheiras em que houver a necessidade de uso de capacetes, estes deverão seguir a codificação de cores. Nesse contexto, assinale a única opção incorreta: O capacete branco é destinado a Oficiais. O capacete branco com uma cruz verde é destinado ao Oficial de Segurança. O capacete branco com uma cruz vermelha é destinado ao Enfermeiro. O capacete amarelo é destinado ao Sr. Mestre. O capacete púrpura é destinado ao observador.
Continência aos navios ou às embarcações que passam ao largo deve ser feita, ao apito respectivo, por todos que estejam cobertas acima. De acordo com o CAAML-703, os militares abaixo relacionados devem estar atentos à aproximação de embarcações miúdas com autoridades embarcadas, para as quais as honras de passagem são devidas, EXCETO: Oficial de Serviço Sargento-Polícia Contramestre Sinaleiro Vigia do Mar.
Denunciar Test